domingo, 20 de setembro de 2009

POESIA BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA - 1


Ari Lins Pedrosa*
ALAGOAS

DEFINIDO


Sou igual à jangada
em alto-mar.

A solidão vicia,
a jangada é viciada.


CONSELHEIROS


Meus dois grandes conselheiros:
o travesseiro
e o espelho.


TERSA VERDADE

À verdade
tira do sério
à mentira.


GRETA

“Senhor, eu não sou digno
que entreis em minha casa,
mas direi uma só palavra
e minha alma será salva.”

Cansam-me os salvos,
não os salmos.

Os salvos,
não buscam a humildade.

Os salmos são as casas
dos humildes.


HÁLITO DO SILÊNCIO


Dentro do silêncio existe um menino,
sem destino e de sonhos feridos.



2º Lugar. III Concurso de
Poesia da Sociedade

de Cultura Latina do Maranhão.
São Luís, 2004


MEU TODO


Quando menino,
observava tudo.
Tudo era observado.

Agora adulto,
só observo o desejado.



REALEZA DO VERÃO


Da minha janela
escuto as gargalhadas
das folhas
no asfalto.


CAMALEÃO

Dizem que viajo do místico
ao profano,
num piscar de olhos.

- Digo
que nem tudo o que falo é verdade
e nem todas minhas verdades
são mentiras.


MEU ANJO


Tenho um anjo da guarda,
que guarda minhas amarguras
faz piruetas com meus pensamentos
e administra meu medo.

Só que ele é malandro,
quando preciso dele,
está sempre de folga.


FILHOS


Néctar do ser
(a melhor coisa
desde mundo).

Preocupações
dos nossos dias
(a pior coisa
neste mundo).


DESEMPREGADO


Seca a língua.
Saio à míngua.

Bato nas portas,
todas mudas.
Volto quebrado,
mastigando palavras.


Classificado.II Concurso de Poesia Falada.
-Fundação Cultural de Maceió-
Maceió-AL, 1998.




Biografia do poeta:
Ari Lins Pedrosa, poeta contemporâneo, nasceu em João Pessoa, na Paraíba, desde 1964 é residente em Maceió – AL. Formado em Ciências Contábeis pelo Centro de Estudos Superiores de Maceió (CESMAC), diretor do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Urbana de Alagoas e presidente do Conselho Fiscal da Fundação CEAL de Assistência Social e Previdência. É membro da Associação Alagoana de Imprensa – AAI, da União Brasileira de Escritores – UBE, além de ser correspondente de The International Academy of Eylettersita of England. Participou de cerca de 30 antologias poéticas, entre elas International Poetry Yearbook, 1994, editada por Teresinka Pereira. Detentor de 49 prêmios literários nacionais e internacionais. Obra já publicada: O Véu do Vendo, 1987; Jangadas de Papel, 1990; O Pescador de Sonhos, 1999; O Veludo da Uva, 2003; O Jardineiro das Nuvens, 2006. Na área infantil, publicou: A Jangadinha Lenira e o Sol Nascente, 1999; Pintando o Sete, 2002; e Vogais Atrevidas e Consoantes Inibidas, 2005. De contos e crônicas, publicou: Gota Urbana, 2004. Recentemente publicou O Colecionador de Sonhos, ed. Asas do Vento, Maceió-AL, reunindo várias entrevistas com escritores brasileiros, de Jorge Amado a Gilberto Mendonça Teles e José Paulo Paes. Prefácio de José Mendonça Teles.
__________
Poemas e dados colhidos por Francisco Miguel de Moura, poeta brasileiro que mora em Teresina-PI

2 comentários:

O Outro Olhar. disse...

Olá, adorei conhecer seu blog, o meu é sobre Cultura e Arte no Recôncavo baiano, mais precisamente nas cidades históricas de Cachoeira e São Félix.
Aguardo a sua visita.
Ah e fica amigo também tá?
Te espero!

FRANCISCO MIGUEL DE MOURA disse...

Leto, ó cara, já passei pelo teu blog,
é ótimo em visual, gostei, vou volar.
Me parece que te disse num e-mai.
Eu também te espero pra me dar um nota, o. k. Agora, dá uma nota o meu, amigo, dá?
Abs.
chico miguel

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...